Aserco inicia comemorações de 50 anos como anfitriã do 52º Encontro GBrasil

Evento, que acontece semestral, foi realizado em Uberlândia e contou com visita à sede da Aserco.

Nos dias 28 e 29 de novembro a Aserco teve a honra de sediar o 52º Encontro GBrasil (Grupo Brasil de Empresas de Contabilidade), em Uberlândia. O evento reuniu representantes de contabilidade de todos os estados e teve como tema principal o marketing na área contábil com foco na Jornada do Cliente e na Proteção de Dados baseado na LGPD.

Estiveram presentes Roberto Dias Duarte, Débora Domicano, Newton Motaes, João Rodrigues, Thiago Cardoso, grandes nomes do mercado que discursaram para os representantes das 38 empresas de contabilidade que fazem parte da aliança.

Foram dias de aprendizado com foco no cliente, marketing e segurança de dados. Além das palestras e discussões, os congressistas visitaram as instalações da Aserco e puderam conhecer um pouco do trabalho desenvolvido pela empresa e as ferramentas utilizadas.

O evento marca a abertura das comemorações da Aserco por seus 50 anos de fundação e atuação no mercado de assessoria contábil, festividade que se estenderá por todo o ano de 2020.

O próximo encontro do GBrasil acontece no próximo ano em Salvador. Confira alguns momentos do encontro em Uberlândia no nosso #Facebook.

O fim do livro de registro de empregados

Com as constantes mudanças em torno do e-Social e a promessa de desburocratização, o governo começou a reduzir a quantidade de obrigações em relação a todo o processo de folha de pagamento.

Primeiro divulgou a data para fim da obrigação do envio do CAGED (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados) e RAIS (Relação Anual de Informações Sociais). Depois substituiu a Carteira Trabalho (CTPS), passando a ser obrigatória a utilização da CTPS Digital, desde setembro deste ano.

Agora, através da Portaria nº 1.195 de 30/10/2019 foi disciplinado o registro eletrônico de empregados e a anotação na Carteira de Trabalho e Previdência. Com isso, o Livro de Registro de empregados passa a compor o rol de obrigações já substituídas pelo e-Social. As empresas já podem fazer a opção pelo registro eletrônico, enviando a informação ao e-Social através da tabela S-1000 e o prazo para adequação as empresas ao novo registo é de um ano.

Para ler mais sobre o assunto, acesse: http://portal.esocial.gov.br/noticias/esocial-passa-a-substituir-livro-de-registro-de-empregados

O que muda com a carteira de trabalho digital?

No dia 23 de setembro de 2019, a Secretaria Especial de Previdência e Trabalho do Ministério da Economia publicou a portaria nº 1.065, que trata da Carteira de Trabalho (CTPS) Digital, formato que substitui a Carteira de Trabalho e Previdência Social de papel.

A partir de agora, os brasileiros passam a contar com a CPTS Digital, documento totalmente em meio eletrônico e equivalente à antiga CTPS física. Ao ser contratado, o novo empregado não precisará mais apresentar a carteira de papel. Bastará o número do CPF e o registro será realizado diretamente na plataforma digital, já que a nova carteira tem como identificação única o número do CPF.

Vale lembrar que os demais documentos para admissão continuam obrigatórios, tais como boletim admissional, cópia do RG e CPF, CNH, comprovante de endereço, etc. Em relação ao PIS, o número continua obrigatório, uma vez que a Caixa Econômica Federal ainda não efetivou uma nova Guia de FGTS.

A Carteira de Trabalho Digital será alimentada com os dados do eSocial (Escrituração Digital das Obrigações Fiscais, Previdenciárias e Trabalhistas). Não existe procedimento de “anotação” da CTPS Digital, pois todos os dados apresentados na carteira são aqueles informados ao eSocial.

A Carteira Digital está previamente emitida para todos os brasileiros e estrangeiros que estejam registrados no Cadastro de Pessoa Física (CPF). No entanto, cada trabalhador terá de habilitar o documento, com a criação de uma conta de acesso no endereço eletrônico: www.gov.br/trabalho.

Deve-se atentar quanto aos eventos como alteração salarial, gozo de férias ou desligamento, já que estes NÃO serão exibidos na Carteira de Trabalho Digital imediatamente, por dois motivos:

1º) O prazo para a prestação de informações da maioria dos eventos no eSocial (e que é feita por parte do empregador) é até o dia 15 do mês seguinte. Já para o caso de desligamento, o prazo de informação é de 10 dias.

2º) Há um tempo de processamento entre a recepção da informação no eSocial e a disponibilização das informações no sistema da CTPS Digital. As informações passam por um tratamento e são incluídas no CNIS (Cadastro Nacional de Informações Sociais), para só então serem apresentadas na CTPS Digital.

Por força de lei, a partir da data de publicação (23 de setembro de 2019), a CTPS em papel será utilizada de maneira excepcional; apenas nos seguintes casos:

– Dados já anotados referentes aos vínculos antigos;

– Anotações relativas a contratos vigentes na data da publicação da Portaria em relação aos fatos ocorridos até então (daqui pra frente, todas as anotações relativas aos novos fatos serão feitas apenas eletronicamente);

– Dados referentes a vínculos com empregadores ainda não obrigados ao eSocial.

Para ler mais sobre o assunto, separamos os endereços a seguir:

http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/portaria-n-1.065-de-23-de-setembro-de-2019-217773828

http://portal.esocial.gov.br/noticias/ctps-digital-o-que-muda-para-empregadores-e-trabalhadores

http://portal.esocial.gov.br/noticias/carteira-de-trabalho-digital-vai-simplificar-contratacoes

https://www.gov.br/pt-br/temas/perguntas-frequentes-carteira-de-trabalho-digital